Bem Vindo ao Espaço da FILOSOFIA da ESFFL

MANUAIS
ÚLTIMAS
Blogosfera cresce a ritmo que duplica a cada seis meses.

O professor da Universidade de Navarra, José Luís Orihuela, pioneiro na utilização de blogues como ferramenta de ensino e aprendizagem, relevou hoje, no Porto, que a blogosfera está «a crescer a um ritmo que duplica a cada seis meses».

Segundo o especialista, uma das grandes vantagens deste meio de comunicação é a possibilidade de se adaptar a todo o tipo de formato e de linguagens (texto, imagem e áudio).

O computador mais antigo do mundo

 

Cientistas descobriram como funciona uma máquina de alta tecnologia com 2100 anos

 

O aparelho esteve dois mil anos escondido no fundo do Mediterrâneo, tendo sido descoberto por um grupo de mergulhadores em 1900. Até agora ninguém sabia o que este aparelho significava e para que servia. Descobriu-se agora que se trata do objecto tecnológico mais antigo conhecido pela arqueologia. Segundo os cientistas, algo sequer semelhante, e relativamente menos desenvolvido, só foi inventado durante o renascimento. O aparelho, em bronze, denominado mecanismo de Antiquitera, data de entre 150 a 100 a.C. e era extremamente refinado para a altura. Tratava-se de um instrumento usado para navegação, datando os ciclos lunares e até os eclipses da Lua. A exactidão astronómica é espantosa, revelando conhecimentos que até tempos recentes eram desconhecidos. Aparentemente, todos estes conhecimentos foram perdidos, tendo a humanidade de redescobrir este tipo de mecanismo muitos séculos mais tarde. O enigma está agora em saber porque se terão perdido tais conhecimentos, quais as causas, e porque não foram preservados ou transmitidos.

 

Fonte: Focus Magazin 347/2006

Poluição humana aumenta seca nas regiões semi-áridas

A poluição humana é responsável pela diminuição de chuvas nas montanhas das regiões semi-áridas, o que está a afectar negativa mente os recursos hídricos no Médio-Oriente e noutras regiões do mundo, indica um estudo hoje publicado na revista Science.

 

 Segundo uma equipa de investigadores israelitas e chineses, o que está a provocar a desertificação em certas regiões é a falta de água resultante da diminuição das chuvas causada pela poluição, e não a subida das temperaturas resultante do aquecimento climático.

 O estudo refere que a poluição atmosférica causada pelo homem nos últimos 50 anos reduziu em 20 por cento a média das precipitações na zona do monte Hua (com uma altitude de 2 mil metros), perto de Xian, no centro da China.

 A equipa de investigadores, dirigida por Daniel Rosenfeld, do Departamento de Ciências Atmosféricas da Universidade Hebraica de Jerusalém, constatou que a perda de chuvas duplicou em dias de menor visibilidade causada por partículas contaminantes em suspensão na atmosfera.

 Nas suas conclusões, os cientistas sublinham a ameaça que pesa sobre recursos hídricos vitais em zonas poluídas onde a precipitação nas zonas montanhosas contribui para o abastecimento de água, como o sudoeste dos EUA, o centro e norte da China e o Médio-Oriente.

 

Fonte:
TvNet / Lusa

 

A  VISITAR

Diário República
Jornais Diversos
Biblioteca
Sobre Sites Filosofia
Público on-line

Diário Noticias
Monografias

Jornais do Mundo

Sapo Noticias

quarta-feira, 28 de Março de 2007 mail

Webmaster: Grupo_Filo_ESFFL